# desejos de feliz 2015

2015 new years illustration with christmas balls

Anúncios

Ultimate Fails Compilation 2014 || FailArmy Best Fails of the Year

Piloto do Montijo, Elisabete Jacinto de partida para o África Race 2015

A piloto Elisabete Jacinto e os restantes membros da equipa OLEOBAN® já estão na estrada em direção a Motril, no sul de Espanha, onde vão realizar amanhã as verificações administrativas e técnicas para o Africa Eco Race 2015. Como é habitual os participantes portugueses e espanhóis cumprem esta etapa imediatamente antes do embarque para Marrocos, uma exceção que a organização do rali concede aos pilotos ibéricos para que estes possam festejar o Natal em família.

elisabetejacinto-1728x800_c

Enquanto os portugueses ainda estão na estrada, os restantes participantes do Africa Race já deram início às formalidades do rali uma vez que se realizam hoje, em Saint Cyprien, as verificações administrativas e técnicas desta prova. Esta bela cidade costeira do Sul de França, localizada junto ao Mar Mediterrâneo, vai acolher mais uma vez a partida daquela que é a maior maratona africana de todo-o-terreno da atualidade e que este ano conta com cerca de 70 participantes. Nesta edição serão cerca de 30 os pilotos que vão cumprir na prova em moto, 30 equipas em automóvel e 10 em camião. Continuar a ler

Jornal Semmais | edição 20 de dezembro

Destaques:

– Entrevista ao Bispo de Setúbal, D. Gilberto Canavarro dos Reis: “estranhamente estão a ser reduzidos os apoios às nossa crianças”;

– Sintese do Plano Estratégico para o Turismo na Região de Lisboa.

Tempo Perdido por Eduardo Cabrita

eduardocabritaCompleta-se esta semana o quarto ano de estagnação dos projetos que davam à região de Setúbal centralidade no modelo de desenvolvimento de Portugal como fachada atlântica da Europa. Pior do que ter sido em causa uma ideia para a região por razões financeiras ou políticas é não existir qualquer modelo alternativo que se perceba para além da desistência e do abandono.

Perante a violência da desconstrução do consenso social em que se basearam quatro décadas de democracia a força prevalecente nas autarquias da região insiste numa contestação sem alternativa, numa convivência light com o Governo, na utilização da má prática central para replicar a nível local os enormes aumentos de impostos e na deliberada opção por ser passadeira vermelha da selvajaria liberal ao eleger o PS como inimigo principal olhando para o eleitorado de esquerda e para os trabalhadores como reféns do deu domínio politico senhorial. Continuar a ler

As 5 cidades mais saudáveis do Mundo

Fonte jornal SOL

Se gosta de fazer desporto, ter uma alimentação equilibrada e, basicamente, valoriza a existência de um estilo de vida saudável, comece já a planear as suas próximas viagens.

cidadessaudaveis

O Guardian e o Economist juntaram-se e fizeram uma lista das cidades mais saudáveis do mundo. Aqui estão elas:  Continuar a ler

O ano visto por António Guterres

Fonte jornal Público

António Guterres vive o lado mais trágico dos conflitos: o seu lado humano. Tem hoje a seu cargo o maior número de refugiados e deslocados desde a II Guerra. E, por isso mesmo, o Alto-Comissário das Nações Unidas para os Refugiados tem uma visão global e real da desordem que hoje impera no mundo.

antonioguterres

Há um dado que nos choca particularmente: o número de refugiados e deslocados em 2014 é o maior desde o fim da II Guerra. 
É verdade. No final de 2013 tínhamos mais de 51 milhões de pessoas internamente deslocadas ou refugiadas por causa de conflitos, o que aconteceu pela primeira vez desde a II Guerra Mundial. Só que 2014 não vai ser melhor. Vou dar-lhe apenas uma breve descrição de alguns dos acontecimentos que tivemos de enfrentar no Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR). Logo no princípio do ano houve o agravamento dramático da situação na República Centro-africana e no Sudão do Sul. Na RCA a explosão de violência resultou até hoje em meio milhão de pessoas internamente deslocadas e mais de 200 mil novos refugiados nos quatro países à volta. E isto, não contando com os mais de 200 mil que já lá estavam de crises anteriores. No Sudão do Sul, a erupção de violência começou a 15 de Dezembro e já levou a 1,4 milhões de pessoas internamente deslocadas e a cerca de meio milhão de novos refugiados na Etiópia, Quénia, Uganda e Sudão.

Esses são aqueles a quem muitas vezes quase não prestamos atenção. 
Essas são as crises de alguma forma negligenciadas pela comunidade internacional, uma vez que as atenções estão essencialmente concentradas no Médio Oriente e, em particular, a crise sírio-iraquiana.
Continuar a ler

Centro Hospitalar Barreiro / Montijo | aumento de capital… para pagar dividas…

Nos termos de despacho conjunto dos Ministros das Finanças e da Saúde, datado de 19 de dezembro, o Centro Hospitalar Barreiro Montijo (CHBM) terá o seu capital social aumentado em € 45.300.000.

LogoCHBM_maior

Este valor corresponde ao maior aumento de capital jamais realizado nesta Instituição, destinando-se primordialmente a saldar as dívidas a fornecedores em 30 de setembro do ano corrente, solvendo assim compromissos assumidos que por ausência de recursos não eram cumpridos e permitindo, por outro lado, uma maior capacidade de negociação com os mesmos. Continuar a ler

Montijo | Nuno Canta entrevista ao jornal Rostos

Entrevista ao jornal Rostos

capa-montijo-720x340

Nuno Canta, presidente da Câmara Municipal de Montijo, a propósito de declarações dos vereadores do Partido Social Democrata que criticam a sua posição como negociador do Orçamento 2015, referiu que – “isso são conjecturas um pouco colaterais às negociações, negociações não, consenso politico, nós precisamos é de consenso politico para ultrapassar estas diferenças, que supostamente foram criadas pelos dois partidos da oposição, a CDU e o PSD”.

Oposição é que tem que dizer que situações querem ver traduzidas

“Este é um processo que nós já fizemos doze reuniões de negociação, de consenso, como quiserem chamar, e, neste momento é uma situação que está do lado dos partidos da oposição.

A oposição é que tem que dizer que situações querem ver traduzidas do ponto de vista do orçamental, para que o orçamento possa vir a ser aprovado. Quando digo aprovado não é que o PSD ou a CDU possam votar a favor, não, apenas que um deles se abstenha e de imediato o documento seguirá em frente” – referiu Nuno Canta. Continuar a ler

Esculturas de pedra, por Hirotoshi Itoh (Japão)

O artista japonês Hirotoshi Itoh é formado pela Universidade Nacional de Belas Artes de Tóquio. Itoh, recolhe pedras que encontra, transformando-as em verdadeiras obras de arte.

Site oficial: aqui

O executivo minoritário no Montijo e as tentações da oposição por Ricardo Bernardes

ricardobernardesNota: o Ricardo Bernardes é um excelente quadro da juventude socialista e do partido socialista.

É coordenador da JS do Montijo, membro do Secretariado da Federação distrital de Setúbal da JS e da CPC do PS do Montijo.

Profissionalmente, é docente da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

Os Executivos de minoria seja no plano nacional, seja no plano autárquico, sobretudo se sucederem a Executivos maioritários do mesmo partido (ou dos mesmos partidos), são habitualmente sentidos pelas oposições como um sinal de fim de ciclo. Consequentemente, aquelas forças veem nesses contextos uma espécie de «rampa de lançamento» para a sua ascensão próxima ao poder e sentem-se legitimados a pôr em prática iniciativas que dificultem a ação governativa, para provocar um desgaste rápido de quem governa, mesmo que isso signifique, na prática, prejudicar o interesse das populações.

Esta é uma visão errada. E é uma visão errada porque é uma visão minimalista, que, ancorada apenas nos cânones do jogo partidário, na mera tática de conquista de poder, se recusa a levar o princípio democrático às últimas consequências. Continuar a ler

Lisboa | mais 12 fogos municipais para arrendar em Lisboa com “preços acessíveis”

Fonte Público

Está em curso a sétima edição do Programa Renda Convencionada, através da qual a Câmara de Lisboa pretende colocar no mercado 12 habitações municipais, com “preços acessíveis” entre os 166 e os 466 euros por mês.

lisboafogos

As candidaturas abriram no fim de Novembro e prolongam-se até ao próximo dia 31 de Janeiro, podendo os fogos disponíveis ser visitados mediante marcação prévia.

De acordo com as informações do município, podem candidatar-se a este programa “pessoas singulares e seus agregados familiares, nacionais e estrangeiras, com título de residência válido em território português, maiores de 18 anos, residentes dentro ou fora do Concelho de Lisboa”. A candidatura é feita através da Internet, sendo as habitações atribuídas por sorteio informático. Continuar a ler