Barreiro | terminal de contentores relança novas pontes na margem sul

Fonte: Diário Económico

Agência Portuguesa do Ambiente recebeu pareceres e recomendações das autarquias do Barreiro e do Seixal a sublinhar a necessidade de construir pontes e estradas em torno do terminal.

O projecto do Governo para o novo terminal de contentores do Barreiro (TCB) deu um novo fôlego para os autarcas da margem Sul voltarem a exigir a construção de várias pontes no estuário do Tejo, de ligação entre o Montijo, Barreiro, Seixal e Almada. Trata-se de uma aspiração de há várias décadas, reavivada com a construção da Ponte Vasco da Gama, em 1998, nunca satisfeita. Há cerca de dois anos, a Lusoponte apresentou uma proposta às autarquias interessadas (Montijo, Barreiro e Seixal, entre outras), que não vingou.

ponte_tejo3_1_628x450

Mas agora as autarquias do Barreiro e do Seixal voltaram à carga. Para emitir um parecer sobre a proposta de definição de âmbito (PDA) de um estudo de impacto ambiental (EIA) para o novo terminal no Barreiro a APA – Agência Portuguesa do Ambiente solicitou a opinião a diversas entidades externas. Na resposta, a Câmara Municipal do Barreiro sublinhou que “a importância da concretização de ligações rodoviárias transversais entre o Barreiro e os concelhos adjacentes – como sejam a ligação Barreiro-Seixal e as extensões para os territórios a nascente (Moita) e a poente (Almada) ou mesmo uma eventual ligação directa Barreiro-Montijo sai reforçada”. A autarquia presidida por Carlos Humberto assinala ainda a necessidade de “despender particular atenção às obras de beneficiação a desenvolver” no IC21, “em toda a sua extensão, de modo a acautelar o incremento de tráfego expectável, em especial de veículos pesados, com origem e destino no TCB e no pólo empresarial e logístico que será desenvolvido na sua envolvente”.

A Câmara do Barreiro tenta até recuperar o ‘dossier’ da Terceira Travessia do Tejo, projecto que foi suspenso pelo actual Governo em 2011. “Em fase de EIA devem ser ponderados alguns aspectos base da PDA que não são descritos de forma rigorosa, designadamente a referência à Terceira Travessia do Tejo Barreiro/Lisboa que, actualmente, continua a ser uma infra-estrutura metropolitana considerada no modelo territorial de desenvolvimento da AML [Área Metropolitana de Lisboa] e, por esse motivo, deve estar bem presente em todos os trabalhos a realizar no território em causa”, defende o parecer da autarquia do Barreiro enviado à APA.

Em consulta pública da PDA do terminal de contentores do Barreiro, também a Câmara do Seixal insistiu na necessidade de construir pontes na Margem Sul. Em carta enviada à APA, o presidente da autarquia, Joaquim Cesário dos Santos, reafirma “a necessidade de maximizar a influência do projecto do terminal de contentores do Barreiro com a concretização da ponte Seixal/Barreiro, no quadro das acessibilidades rodoviárias preconizadas, permitindo induzir maior procura sobre os 505 hectares, actualmente expectantes, que constituem, o território da área da ex-Siderurgia Nacional, onde cerca de 400 hectares são propriedade do Estado português”.

O autarca do Seixal sublinha nessa carta que “a construção da ponte Seixal/Barreiro concorrerá de forma fundamental, permitindo não só o fecho da malha viária, como também garantir a promoção de dinâmicas associados ao desenvolvimento económico, social e ambiental”.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s