Diversidade e Inclusão – o amor não tem rótulos!

Muito bom! Este vídeo é mesmo para todos verem!

A campanha foi concebida pelo Ad Council, uma ONG norte-americana que produz campanhas de serviço público.

Foi publicado na terça-feira, já tem mais de 15 milhões de visualizações!

Anúncios

Comunicado da Comissão Executiva da Área Metropolitana de Lisboa sobre transportes

Na próxima reunião do CM a realizar dia 19 de março um dos pontos em análise será “Análise Proposta de Lei 287/XII, (PL 48/2015, de 10 de fevereiro), relativo ao novo RJSPTP – Regime Jurídico do Serviço Público de Transporte de Passageiros”.

amlcomissaoexecutiva

Entretanto, numa análise já realizada no âmbito da CEM, designadamente no âmbito do GT para a mobilidade e transportes, apontaram-se já algumas das grandes linhas que irão ser colocadas a debate no CM. Assim, esclarecer que a AML vem manifestando de há muito a esta parte a sua disponibilidade para assumir responsabilidades na definição da política pública de transportes, na gestão e planeamento, assim como na coordenação dos transportes da região metropolitana.

Em coerência com essa posição muito sedimentada não poderia deixar de continuar disponível para assumir as atribuições e competências necessárias que, pensamos, serão muito mais adequadamente desempenháveis a uma escala metropolitana, e por uma entidade com o perfil que já hoje tem a AML.

Contudo, e como também já se tinha assinalado, a eventual evolução para um novo modelo de atuação num setor tão delicado e complexo como é o dos transportes e da mobilidade, para mais no contexto atual onde sobram dificuldades orçamentais e financeiras conhecidas, e isto numa região com problemas críticos de mobilidade e transportes, não pode nem deve passar por uma atitude voluntarista pouco responsável. Continuar a ler

Seis municípios recebem selo “Smart Cities”

Fonte: Smart Cities

Águeda, Cascais, Guimarães, Matosinhos, Torres Vedras e Vila Nova de Gaia foram os primeiros vencedores do selo “A smart project for Smart Cities”, uma iniciativa da Inteli que visa distinguir boas-práticas de inteligência urbana. O anúncio dos galardoados foi feito hoje, no âmbito da Green Business Week.

0503selo

Da iluminação pública à desmaterialização de processos administrativos, da gestão da mobilidade aos indicadores ambientais, passando pela simplificação de operações da recolha de resíduos. São várias as áreas em que incidem os projectos distinguidos pelo selo, nesta edição-piloto, demonstrando que o sector das smart cities é verdadeiramente transversal. A iniciativa nasceu este ano e, nas palavras de Catarina Selada, directora da Unidade de Cidades da Inteli, “não é algo pontual, fazendo parte da estratégia da Inteli para desenvolver territórios mais inteligentes”.

Numa primeira edição-piloto, que acaba por servir de lançamento e teste do conceito, o selo “A smart project for Smart Cities” foi atribuído a seis municípios, graças a um empate na avaliação das candidaturas (apenas estavam previstos cinco vencedores). Neste fase inicial, foram elegíveis projectos dos 43 municípios membros da RENER Living Lab – Rede Portuguesa de Cidades Inteligentes. Ao todo, a iniciativa recebeu 24 candidaturas, provenientes de 18 municípios. Continuar a ler