AML | Nota de imprensa acerca da cerimónia de lançamento do POR Lisboa 2020

Os órgãos da AML têm vindo a analisar com atenção e profundidade as possibilidades reais de financiamento e o papel reservados a esta entidade e aos municípios nela integrados, no âmbito do Portugal 2020, e, mais especificamente, do POR Lisboa 2020, fazendo-o a partir dos documentos europeus de enquadramento comunitário e das decisões e orientações governamentais que vão sendo conhecidas.

aml1

Assim, e por exemplo, o Conselho Metropolitano de Lisboa, reunido extraordinariamente no dia 05 de março, abordou uma vez mais os Programas Operacionais do Portugal 2020 e, em particular, as prioridades de investimento e respetivas dotações financeiras a que os Municípios e a AML de um ponto de vista intermunicipal poderão vir a ter acesso para apoio aos projetos e ações que pretendem desenvolver, tendo constatado, entre outros aspetos, que:

1. As designadas Ações Integradas de Desenvolvimento Urbano Sustentável (AIDUS), tal como estão a ser propostas e impostas, desvirtuam a concepção mais original e interessante do período de programação 2014-2020 – os Instrumentos Territoriais Integrados (ITI) -, uma vez que, na prática, poderá não haver lugar a verdadeiras operações integradas com temáticas afins que propiciem efeitos sinergéticos fundamentais;

2. Se verifica, de facto, uma rarefação de fundos financeiros relativamente ao QREN (ao contrário daquilo que é anunciado) e, por outro lado, a dispersão anacrónica das ações financiáveis sob uma aparente concentração de temáticas fulcrais; Continuar a ler

Anúncios

Humor | Dois pesos e duas mentiras por Rodrigo de Matos

expresso214w-82d7

Inteli | Índice de Cidades Inteligentes 2020

Fonte: Smart Cities

43 cidades portuguesas fazem parte da segunda edição do Índice de Cidades Inteligentes 2020 da Inteli – Inteligência em Inovação, Centro de Inovação. Numa fase seguinte, o documento vai ser alargado a todos os municípios nacionais.

20130110_OfuturoNumaLogicaIntegrada2

A primeira edição deste Índice contou com apenas com 20 cidades, sendo que as actuais 43 fazem também parte da RENER – Rede Portuguesa de Cidades Inteligentes.

O Índice pretende posicionar estrategicamente as cidades nacionais em matéria de inteligência urbana, compondo uma base de informação e conhecimento municipal de apoio à tomada de decisão das políticas públicas e dos agentes económicos e sociais. Espera-se também que o documento contribua para melhorar o desempenho de territórios, através da criação de oportunidades de cooperação urbana, no sentido da criação de produtos, serviços e soluções criativas e inovadoras. Continuar a ler