Opinião | o aeroporto é agora por Maria Amélia Antunes

Maria-Amelia-AntunesPor alegadas razões de ordem financeira, o atual Governo do PSD/CDS decidiu suspender a construção do Novo Aeroporto de Lisboa, no Campo de Tiro de Alcochete.

A solução do NAL no Campo de Tiro, foi decidida em 2008, pelo Governo do PS. A decisão resultou de vários estudos realizados durante mais de 40 anos, que originaram um intenso debate na sociedade portuguesa e muita especulação imobiliária, do setor financeiro, para além de um profundo trabalho diplomático junto das Instâncias Europeias.

Ao suspender a construção do NAL, o Governo do PSD/CDS ordenou o desenvolvimento de novos estudos, desta vez para considerar a solução Portela +1 para os voos low-cost.

A valorização, as vantagens e o crescimento deste tipo de deslocações low-cost no presente e no futuro .devem ser consideradas O seu interesse é manifesto e granjeia cada vez mais passageiros. Se ao interesse das companhias aéreas low-cost juntarmos o crescimento da atividade turística em Portugal que se espera cresça com qualidade e segurança, os operadores turísticos têm razões para desenvolver a sua atividade ,com mais confiança e garantia de sucesso.

Neste quadro, a opção Portela +1 que se anuncia poder vir a ser decidida para a BA6 no Montijo, nasce à partida condicionada pela falta de condições objectivas para ser bem sucedida ,ou seja com futuro. Na verdade, será uma opção de recurso, do tipo do mal o menos, como alguns gostam de afirmar, para a seguir ser mesmo o mal.

Recentemente, vieram a público notícias de que a “Portela ainda se aguentará por mais seis anos”. Seis anos, é já amanhã, quando falamos em infraestruturas desta exigência de qualidade e segurança. Será que a questão do investimento/financiamento é um entrave à construção do NAL? Continuar a ler

Anúncios

Os 10 países menos poluentes do mundo 2015

Setúbal | Deputados do PS promovem conferência “A Geografia da Crise e a Precariedade Social”

Os Deputados do Partido Socialista eleitos pelo Círculo de Setúbal e a Federação Distrital de Setúbal promovem, no próximo dia 14 de abril, pelas 21:00, no Hotel Esperança (em Setúbal), a Conferência A Geografia da Crise e a Precariedade Social, em que são oradores Eugénio da Fonseca, Presidente da Cáritas, e João Ferrão, Investigador-Coordenador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa.

ageografiadacriseeaprecaridadesocial

Área Metropolitana de Lisboa toma posição sobre o regime jurídico de transferência de competências para os Municípios

A Comissão Executiva da Área Metropolitana de Lisboa, reunida em 07 de abril, aprovou uma tomada de posição sobre o estabelecido pelo Decreto-Lei 30/2015, manifestando a sua divergência face ao regime jurídico de transferência de competências para os Municípios nas áreas sociais aprovado no Conselho de Ministros de 15 de janeiro de 2015.

amlcomissaoexecutiva

Nessa tomada de posição, repudiou a forma institucionalmente criticável como o Governo tratou o processo no que respeita ao relacionamento com os municípios e com a Associação Nacional Municípios Portugueses (ANMP), tendo a concretização das disposições constantes da Lei 75/2013 de 12 de setembro sido o mero cumprimento de uma formalidade, pois apesar dos pareceres negativos, tanto da ANMP, como de vários municípios (nomeadamente na AML), não existiu qualquer vontade de construção de uma solução conjunta.

“Este regime jurídico foi publicado sem explicações que permitissem entender o seu sentido, sem estudos que o sustentem, e sem a mínima fundamentação capaz de permitir, por exemplo, compreender a escolha das áreas abrangidas, das soluções preconizadas ou dos critérios aptos a garantir as indispensáveis uniformidade e universalidade territoriais na construção do processo e na afetação de recursos, em suma, sobre a ausência de todos os elementos cuja presença a própria Lei 75/2013 impõe.” Continuar a ler