Cidades Sustentáveis 2020

A estratégia do Governo para as Cidades Sustentáveis 2020 está em consulta pública. Até ao final deste mês, cada português pode dar a sua opinião sobre esta proposta para o desenvolvimento territorial integrado, aos níveis económico, social, ambiental, cultural e de governança.

click na imagem para ver documento

cidadessustentaveis2020

O plano pretende tornar as cidades portuguesas mais cognitivas, conectadas, justas, saudáveis, resilientes e prósperas, tendo como base quatro eixos estratégicos – Inteligência e Competitividade, Territorialização e Governança, Sustentabilidade e Eficiência, e Inclusão e Capital Humano.

Para implementar esta estratégia, o Governo conta com o apoio para financiamento do novo quadro de fundos comunitários, Portugal 2020, e prevê a criação de um Fórum Cidades Sustentáveis 2020, de um barómetro e do Índice de Sustentabilidade Urbana, com vista à partilha de experiências e conhecimento e ao incentivo da competição saudável entre as cidades. Para além disso, espera-se ainda a promoção de redes e plataformas de conhecimento e inovação urbana e a disseminação de boas práticas a nível nacional. Continuar a ler

Anúncios

Como se plantam mil milhões de árvores num ano?

Uma startup britânica quer utilizar drones para plantar mil milhões de árvores por ano e, assim, ajudar a reflorestar o planeta gradualmente. Este é o objectivo da BioCarbon Engineering, com sede em Oxford, Inglaterra, que quer combater a desflorestação à escala industrial com uma reflorestação nas mesmas proporções.

dronearvores

Estima-se que, actualmente, cerca de 26 mil milhões de árvores sejam queimadas ou cortadas todos os anos. Destas, apenas 15 mil milhões voltam a ser plantadas. O primeiro passo para reduzir esta diferença passa, de acordo com a BioCarbon Engineering, por um mapeamento, feito com os drones, dos territórios florestais espalhados pelo mundo, para que se possa perceber “onde a reflorestação é mais necessária”, escreve oTreeHugger. Posteriormente, proceder-se-á para a plantação.

Assim que a área a reflorestar seja identificada, é enviado um drone para o local, que emite um sinal para a estação de controlo a indicar que chegou. Então, a cerca de dois ou três metros de distância do solo, o aparelho “dispara” uma semente germinada biodegradável, que é posteriormente coberta com uma camada de hidrogel. Continuar a ler