Odivelas | orçamento participativo 2015 – recolha de proposta entre 1 de maio e 30 de junho

banner-OP-15_2

Mais informação aqui.

A Câmara Municipal de Odivelas implementa o Orçamento Participativo (OP), porque reconhece a importância da utilização de instrumentos que promovam a participação dos cidadãos nos processos de governação local.

Estes instrumentos que, pela sua natureza, se baseiam na partilha da decisão e no apelo à emancipação social e política dos cidadãos, são transformadores das relações tradicionais entre as Autarquias e a Sociedade, pois abrem um espaço de diálogo e de concertação coletiva sobre a afetação dos recursos às políticas públicas municipais.

O calendário do ciclo do OP de 2015:

  • Preparação do processo: março de 2015;
  • Divulgação: abril de 2015;
  • Recolha das propostas (online e nas assembleias participativas): 1 de maio
    a 30 de junho de 2015
    ;
  • Análise técnica das propostas: 1 de julho a 7 de agosto de 2015;
  • Divulgação da lista provisória dos projetos: 10 de agosto de 2015;
  • Período de reclamação: 10 a 16 de agosto de 2015;
  • Decisão sobre as reclamações: 17 a 31 de agosto de 2015;
  • Divulgação e período de votação dos projetos: 1 a 30 de setembro de
    2015
    ;
  • Apresentação dos resultados (projetos vencedores): 7 de outubro de
    2015
    ;
  • Aprovação do orçamento: outubro de 2015;
  • Execução dos projetos vencedores: janeiro de 2016 a dezembro de 2017.

Humor | o voo alternativo por Henrique Monteiro

18324684_zhbZU

Path: a cidade que se esconde debaixo de Toronto

Com 30 quilómetros de comprimento, a Path é a maior cidade subterrânea do mundo e esconde-se debaixo de uma congestionada Toronto, no Canadá. Este sistema, que liga mais de 50 edifícios, entre hotéis e escritórios, e atracções turísticas, foi inaugurado em 1900, com os primeiros túneis subterrâneos, mas só ganhou consistência nos anos 60 e 70, com as ligações entre eles e, mais tarde, em 1993, quando a cidade nomeou uma agência para coordenar a infra-estrutura.

path_h

Esta rede subterrânea tem vários espaços comerciais, tem uma temperatura controlada – o que não é despiciendo quando se fala de uma cidade com neve durante grande parte do ano – e permite caminhar calmamente numa rede de túneis, evitando a confusão das ruas.

Segundo o The Guardian, a maioria das pessoa entra e sai do Path em diferentes locais, ou seja, utilizam-no por conveniência e não como destino. Ultimamente, por outro lado, esta incrível passagem subterrânea está a transformar-se numa atracção turística.

“O Path promove a caminhada”, explica James Parakh, gestor de design urbano na cidade e que lidera vários grupos turísticos no Path. Continuar a ler