LATA 65 | idosos promovem arte urbana e combatem estereótipos!

Portugal. Covilhã. | estas imagens correm mundo

LATA 65 foi desenvolvido pelo COWORK Lisboa em parceria com Lã – Covilhã Urban Art Festival, com o objetivo de preencher uma lacuna entre as gerações e de estimular o lado artístico das pessoas idosas.

Mais informação aqui.

 

Anúncios

Portugal City Brand Ranking 2015 | regional – Área Metropolitana de Lisboa

Com 11 anos de existência, a Bloom Consulting é uma consultora especializada na análise e desenvolvimento de estratégias de “Country”, “Region” e “City” branding. Tem sede em Madrid e conta com escritórios em Lisboa e São Paulo.

Neste documento apresenta a segunda edição do Portugal City Brand Ranking ©, sobre a performance de marca dos 308 municípios Portugueses, no qual classifica a atratividade destas perante diferentes públicos-alvo (Turismo, Negócios e Talento).

Ranking regional – Área metropolitana de Lisboa

bloomconsultingranking2015AML

click na imagem para aceder a estudo completo

portugalcitybrandranking2015

Como se faz este ranking? Continuar a ler

AML | Comunicado do Conselho Metropolitano de Lisboa

O Conselho Metropolitano de Lisboa, reunido no dia 18 de junho de 2015, na sede da Área Metropolitana de Lisboa, analisou diversas matérias de interesse metropolitano, das quais se destacam:

aml1

Consequências da publicação da Lei 52/2015, de 9 de junho, para as populações, para a entidade intermunicipal e para os municípios da AML

O Conselho Metropolitano de Lisboa, que tem acompanhado o processo de alteração legislativa do Regime Jurídico de Serviço Público de Transporte de Passageiros (RJSPTP), e tem manifestado as suas posições publicamente, apreciou a proposta de iniciativa da Comissão Executiva e, tendo presente a necessidade vital de alterar, na medida máxima do possível, o rumo apontado no RJSPTP, designadamente naquilo que representa um forte potencial de agravamento socioeconómico para as populações/utentes, ambiental para os territórios, organizacional para o sistema de transportes e institucional e financeiro para os municípios e para a AML como entidade intermunicipal, deliberou:

  1. Manter a rejeição do modelo subjacente ao RJSPTP tendo em conta o seu conteúdo objetivo que desvirtua profundamente o princípio decentralizador.
  2. Mandatar a Comissão Executiva no sentido de proceder judicialmente com o objetivo de instaurar a necessária providência cautelar suscetível de suspender a aplicação desta Lei, por manifesto e irreversível prejuízo que a sua aplicação provocará no interesse público.
  3. Adotar uma linha de ação executiva metropolitana revestida de grande prudência e segurança, não propiciando a consumação de etapas administrativas e organizacionais antes de elas se demonstrarem eventualmente incontornáveis.
  4. Analisar em todos e em cada um dos municípios as repercussões expectáveis da eventual entrada em vigor do novo RJSPTP, das várias perspetivas analíticas possíveis.
  5. Atuar institucional e politicamente ao nível metropolitano e nacional no sentido de obstar à concretização dos aspetos que as análises já realizadas apontam como tendo um potencial mais instabilizador e gravoso.
  6. Colocar de imediato ao Governo a resolução das necessidades vitais para as populações/utentes dos serviços públicos de transportes, nomeadamente rodoviários, por forma a obviar às anomalias que se vêm verificando na prestação deste serviço essencial;
  7. Associar-se à rejeição do processo de subconcessão da Carris e Metro já manifestado publicamente pelo município de Lisboa.

De notar que a Área Metropolitana de Lisboa desde há muito defende que deve gerir o sistema metropolitano de transportes, mas não nas condições em que o Governo quer agora impor, que apresenta inúmeros aspetos indefinidos/ dúbios e, para além de provocar o aumento das tarifas que onerarão os utentes, não reúne condições para possibilitar a melhoria do serviço público de transportes nesta área metropolitana.

A isso acresce que a Lei prevê a regulamentação no prazo de 90 dias contados a partir da data da sua publicação (09/06/2015), o que leva a pôr em causa a legitimidade do Governo para regular nessa altura, tendo em conta a proximidade da realização de eleições legislativas.

Criação do Sistema Multimunicipal de abastecimento de água e de saneamento de Lisboa e Vale do Tejo, nos termos do Decreto-Lei 94/2015, de 29 de maio Continuar a ler

Montijo | autarquia apresenta Plano Municipal para a Integração dos Imigrantes

Na terça-feira, dia 23 de junho terá lugar a apresentação pública do Plano Municipal para a Integração dos Imigrantes, a partir das 9h30, na Galeria Municipal. A entrada é livre.

MODELO_GERAL_para_site_CMM_550x1400px

O plano é o resultado de um protocolo de parceria assinado entre a câmara e o Cesis-Centro de Estudos para a Intervenção Social. A iniciativa teve por base uma candidatura aos fundos comunitários, no valor de dez mil euros, para a Integração de Nacionais de Países Terceiros.

A cerimónia vai contar na abertura dos trabalhos com Nuno Canta, presidente da Câmara Municipal do Montijo, e Pedro Calado, Alto-Comissário para as Migrações.

A integração dos imigrantes no município de Montijo: presente, passado e futuro será o painel apresentado nesta iniciativa que contará com as intervenções de Maria Clara Silva, vereadora do pelouro de Desenvolvimento Social e Promoção da Saúde da Câmara Municipal do Montijo, e de Ana Cardoso do CESIS. Continuar a ler

PS Federação de Setúbal | sessão de esclarecimento sobre o Cenário Macroeconómico

A Federação Distrital do PS de Setúbal promove na próxima terça-feira, 23 de junho, uma sessão de esclarecimento sobre o Cenário Macroeconómico apresentado por especialistas do PS, destinado a militantes e simpatizantes.

antoniocostamariocenteno

A sessão, terá início às 21.00 horas, no Luna Esperança Centro Hotel, sito na Av. Luisa Todi, nº220 em Setúbal e contará com o Prof. Mário Centeno como orador.

A iniciativa insere-se na estratégia nacional e distrital: Por uma alternativa de confiança!