António Costa “sucesso das finanças de Lisboa contrasta com fracasso do governo”

Anúncios

CSKA Moscovo vs Sporting Clube de Portugal

Prognóstico: 2 – 2

scpvscskamoscovo

Montijo / Afonsoeiro | Fernando Caria “As dificuldades começaram no inicio do meu mandato”

Fonte: Diário do Distrito

Fernando Caria, actualmente presidente da Junta de União de Freguesia do Montijo e Afonsoeiro, fez um balanço geral de um ano e oito meses do seu mandato.

fernandocaria2

Ao longo de um ano e oito meses qual o balanço que faz no comando dos destinos da União de Freguesias do Montijo e Afonsoeiro?

O balanço que faço é extremamente positivo, se analisarmos as dificuldades criadas desde o inicio do nosso mandato e se considerarmos as dificuldades ao longo do mandato já depois do Executivo estar formado e pelo trabalho já realizado, tenho a certeza absoluta que é extremamente positivo o balanço que podemos fazer nesta altura.

Repare, temos cerca de oitenta por cento do nosso plano de actividades praticamente ao fim de um ano e oito meses feito, e como sabe esta União de Freguesias tem tido bastantes dificuldades e quase diárias. Mas felizmente com o nosso trabalho e com a nossa dedicação temos conseguido levar a bom porto tudo aquilo que nós nos propusemos fazer.

<<Não tivemos uma maioria absoluta, tivemos uma maioria relativa>>

Como foi trabalhar até o orçamento ser aprovado, uma vez que o mesmo no início não foi aprovado pela oposição…Como trabalhou o Executivo sem o orçamento que é tão fundamental para o dia a dia de uma Junta de Freguesia? Continuar a ler

Lisboa bike to work | de bicicleta para o trabalho

Mais informação aqui.

Estão abertas as inscrições para o Bike to Work Day, uma iniciativa que decorre no dia 18 de setembro e integra o calendário da Câmara de Lisboa para a Semana Europeia da Mobilidade, de 16 a 22 de setembro. De Bicicleta para o Trabalho junta a autarquia e a Lisboa E-Nova e tem o apoio da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta.

lisboabiketowork

O objetivo é desafiar as empresas, instituições e seus trabalhadores a deslocarem-se no dia 18 de setembro de bicicleta para o local de trabalho, procurando sensibilizar para a necessidade de reduzir os impactos ambientais da mobilidade urbana através da utilização de meios suaves de mobilidade.

As entidades interessadas em participar na iniciativa devem preencher o formulário online até 15 de setembro, a inscrição é gratuita.

Câmaras já podem entregar actividades curriculares a empresas

Fonte: Público

A partir desta terça-feira os municípios poderão entregar a concretização das Actividades de Enriquecimento Curricular (AEC) a empresas sem recearem que o contrato seja recusado pelo Tribunal de Contas, como sucedeu no ano passado com a Câmara Municipal do Porto.

escola

Um diploma aprovada pelo Governo em Junho passado, e que entrou em vigor nesta terça-feira, veio legalizar esta prática, utilizada há anos por vários municípios, ao abrir a possibilidade destes “contratualizarem parcerias com outras entidades para assegurar o desenvolvimento e concretização das AEC”.

Tal não era ainda possível porque o anterior diploma que regulava a contratação dos técnicos para as AEC, aprovado em 2009, “não previa a possibilidade de os municípios procederem à externalização deste serviço já que estabelecia “apenas um mecanismo de contratação dos profissionais que dinamizam estas actividades, impondo às entidades promotoras a celebração de contratos a termo resolutivo para o efeito”, esclareceu ao PÚBLICO o gabinete de comunicação do Ministério da Educação e Ciência. Os contratos a termo resolutivo são os que se destinam a suprir necessidades temporárias.

Em 2014, o Tribunal de Contas chumbou o contrato que a Câmara Municipal do Porto tentou fazer, mais uma vez com a empresa Know How, com um valor de cerca de 2,5 milhões de euros, em que esta ficava com a responsabilidade das AEC no concelho, assegurando o recrutamento, contratação e pagamento dos docentes necessários ao desenvolvimento destas actividades. Continuar a ler

Montijo apoia aeroporto na base aérea com nova ligação à ponte Vasco da Gama

Fonte: Lusa

Adaptar a base aérea do Montijo a aeroporto civil obrigaria a melhorar as ligações rodoviárias e intensificar rede de transportes públicos, defende presidente da câmara da cidade.

Base-Aerea-Montijo

O presidente da Câmara do Montijo, que apoia as negociações da ANA com a Força Aérea para abrir a base n.º 6 à aviação civil, defende uma nova ligação da Ponte Vasco da Gama para servir a infraestrutura.

Segundo Nuno Canta (PS), para adaptar a base aérea do Montijo a aeroporto civil, em alternativa a Sintra e a Alverca, será importante a articulação com a ponte através de uma nova ligação direta ao Montijo, há muito reivindicada, mas nunca concretizada.

Fonte do Ministério da Economia revelou que “só no início de setembro” deve existir um acordo entre a ANA – Aeroportos de Portugal e a Força Aérea Portuguesa (FAP), que deve ser indemnizada pela empresa controlada pelos franceses da Vinci Airports.

“Já não é a Portela+1, mas uma extensão do aeroporto da Portela”, afirmou o presidente da Câmara do Montijo, em declarações à agência Lusa, acrescentando que o aeroporto de Lisboa passa “a funcionar com duas pistas, uma na margem norte e outra na margem sul” do Tejo. Continuar a ler