Reavivar a memória: A legislatura Passos / Portas em revista

Anúncios

António Costa promete repor cortes dos salários na função pública e as 35 horas semanais

Fonte: Lusa

Líder socialista promete repôr vencimentos “em 2016 e 2017”. Já o regresso das 35 horas semanais é para fazer “de imediato”.

antoniocostamangualde

O secretário-geral do PS, António Costa, prometeu hoje repor na íntegra o vencimento dos funcionários públicos em 2016 e 2017, garantindo também para a classe a reposição imediata das 35 horas de trabalho semanais, caso seja eleito.

“Os nossos compromissos são feitos na medida daquilo que sabemos serem as nossas capacidades. Por isso, dizemos: vamos repor na íntegra o vencimento dos funcionários públicos”, alegou.

Na sua intervenção num jantar comício, que decorreu em Mangualde, no distrito de Viseu, António Costa esclareceu que a reposição na íntegra dos vencimentos dos funcionários públicos não será feita de imediato.

“Vamos fazê-lo em 2016 e 2017, porque só então o poderemos fazer. O nosso compromisso é com conta, peso e medida para poder ser cumprido”, acrescentou. Continuar a ler

Veja como Lisboa vai mudar!

Fonte: Expresso

Praças novas e avenidas arranjadas para passear — avança a reconversão do eixo Marquês de Pombal/Entrecampos.

Mais verde, mais passeios, mais esplanadas; mais gente, menos carros — são os princípios por trás da revolução que a Câmara Municipal de Lisboa (CML) quer lançar no chamado “eixo central”, que vai do Marquês de Pombal até Entrecampos. Na reunião do executivo camarário da próxima quarta-feira deverá ser aprovada a empreitada, que inclui a transformação do Saldanha numa verdadeira praça, em vez da rotunda com estacionamento que é atualmente, e o novo desenho da zona de Picoas, entre o edifício da PT e o Centro Comercial Imaviz, bem como o rearranjo da Avenida Fontes Pereira de Melo e da Avenida da República até ao cruzamento com a Elias Garcia. A parte restante do projeto do “eixo central”, do Campo Pequeno até Entrecampos, não avança por enquanto, por ser tecnicamente mais complexa e cruzar-se com os projetos para os terrenos da Feira Popular (outro imbróglio que a autarquia conta desembrulhar ainda este ano).

“Sim”, responde, sem hesitar, o presidente da CML, Fernando Medina, quando questionado sobre se este é um dos grandes projetos do seu mandato. “Estamos a dar resposta à ambição das pessoas, que creio ser grande, de poderem usufruir mais e melhor do espaço comum na cidade. Aumentamos e valorizamos o espaço público, que reganha centralidade para utilização e fruição de todos, seja para estar numa esplanada, andar a pé ou de bicicleta, ou divertirmo-nos com os filhos num parque”, diz o autarca. Continuar a ler