AML | DECO – Água: quanto custa a tarifa no seu município?

Abastecimento, saneamento e resíduos sólidos urbanos pesam na fatura mensal da água.

A DECO realizou um estudo onde simula o consumo médio de 120m3 de água por ano e os custos associados ao abastecimento, saneamento e resíduos sólidos urbanos – total da fatura que recebemos em casa.

Dos resultados obtidos, verifica-se, nos municípios da Área Metropolitana de Lisboa, que os residentes no concelho de Mafra pagam a fatura mais elevada.

para maior definição click na imagem

amlcustoagua#emanueljccosta.wordpress

Já em Palmela, no sentido inverso, os cidadãos residentes no concelho são aqueles que pagam o menor custo.

Tendo por base um consumo médio mensal de 10 metros cúbicos, os dados apresentados refletem uma simulação de 120 metros cúbicos anuais. Os valores não incluem IVA e têm por base os tarifários em vigor à data de abril de 2015. Continuar a ler

Anúncios

Municípios devem recorrer à via judicial para travar fusões nas águas

Fonte: Lusa

O presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), Manuel Machado, defendeu hoje, em Coimbra, o recurso à via judicial por parte dos municípios para se travar o processo de fusão de sistemasmultimunicipais de água.

abastecimentoagua

“Cada município é livre de tomar as decisões que entender”, mas a ANMP defende o recurso à “via judicial, se este processo [de agregação de sistemas multimunicipais de água] prosseguir”, afirmou Manuel Machado, que falava aos jornalistas ao princípio da tarde de hoje depois de ter participado numa reunião do Conselho Diretivo da Associação.

“A fusão de uma empresa com outra só pode ser feita por deliberação qualificada da assembleia geral”, sustentou o presidente da ANMP, recordando que a empresa Águas de Portugal (AdP) detém 51% do capital social das empresas envolvidas em processos de agregação preconizados pelo Governo.

A AdP não tem, assim, “poderes em assembleia geral para determinar” fusões de sistemas multimunicipais de água, salientou. Continuar a ler

Montijo | CMM contra Sistema Multimunicipal de Abastecimento de Água e Saneamento de Lisboa e Vale do Tejo

Na reunião extraordinária de 15 de dezembro, o executivo da Câmara Municipal do Montijo aprovou, com os votos favoráveis do PS e da CDU e a abstenção do PSD, um Parecer de Oposição ao projeto de Criação do Sistema Multimunicipal de Abastecimento de Água e Saneamento de Lisboa e Vale do Tejo.

abastecimentoagua

A Câmara Municipal do Montijo mostra-se, assim, contra a criação de um mega Sistema Multimunicipal de Abastecimento de Água e Saneamento de Lisboa e Vale do Tejo, no âmbito do projeto de reestruturação do setor das águas e saneamento apresentado pelo Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia. Continuar a ler