Portugueses são dos menos satisfeitos com espaços verdes nas cidades

Fonte: TVI

Os cidadãos portugueses são dos europeus menos satisfeitos com os espaços verdes à sua disposição nas cidades, revela um documento hoje divulgado pelo Eurostat, segundo o qual 43,6% da população portuguesa vive em grandes centros urbanos.

espacoverdeurbano

Por ocasião do Dia Mundial do Habitat, que se assinala hoje, o gabinete oficial de estatísticas divulgou um estudo sobre a distribuição da população europeia por grau de urbanização, que revela que 43,6% da população portuguesa vive em áreas de grande densidade populacional (ou cidades), 26,1% em áreas de baixa densidade populacionais (ou rurais) e 30,3% em “áreas intermédias” (vilas ou subúrbios).

Os valores encontram-se em linha com a média europeia, já que 40,2% da população da UE vive em cidades, 27,8% em áreas rurais e 32,0% em áreas de média densidade populacional.

Entre os europeus que residem em grandes centros urbanos, os portugueses são dos menos satisfeitos com as áreas verdes e de recreio existentes nas cidades, pois numa escala de 0 a 10 (de nada satisfeitos a muito satisfeitos) atribuem em média “nota 6”, o quarto valor mais baixo da UE a 28, apenas à frente de Chipre (5,9), Bulgária (5,3) e Grécia (5,0). Continuar a ler

Anúncios

Pacto de Autarcas: o início de uma nova era

Fonte: Smart Cities

Com mais de 6000 cidades já subscritoras do Pacto de Autarcas, chegou a altura da iniciativa europeia de acção local sustentável ganhar uma nova dimensão e ‘cara’ renovada. Bruxelas prepara-se para, no dia 15 de Outubro, apresentar um “Novo Pacto de Autarcas”. Entre as novidades, destaque para a inclusão da componente de adaptação climática e para o princípio da “energia para todos”, que as cidades assinantes do novo Pacto terão que garantir.

pactoautarcas

O Novo Pacto de Autarcas surge agora alinhado com os horizontes de política comunitária para 2030. A evolução é natural, acompanhando as metas estabelecidas pela União Europeia (UE) no que concerne à redução de emissões de CO2, incorporação de energias renováveis e aumento da eficiência energética. Já em 2008, por altura do lançamento do actual Pacto de Autarcas, os objectivos traçados para os municípios europeus estavam em linha com as metas da UE para 2020. E as intenções do Pacto eram claras: associar directamente as cidades na implementação da política comunitária para a energia e clima, através da implementação de planos de acção para a energia sustentável.

Hoje, acompanhando o que foi decidido pelas instituições europeias, o Pacto de Autarcas quer afirmar-se com maior ambição. O objectivo das cidades signatárias no Novo Pacto passa a ser o de uma redução de emissões de CO2 em, pelo menos, 40%, no seguimento de um processo de consulta alargado aos váriosstakeholders. No actual modelo, a meta consistia em ultrapassar a fasquia definida a nível comunitário para 2020: 20%.

Outra das novidades passa pela integração do Mayors Adapt no Novo Pacto de Autarcas. Recorde-se que o Mayors Adapt foi lançado em 2014, com atenções centradas na adaptação climática das cidades. A preocupação com a vulnerabilidade das cidades não foi esquecida, mas, agora, os esforços climáticos de adaptação e mitigação vão ser integrados sob uma mesma iniciativa. Continuar a ler

Autocarro eléctrico circulou 415 quilómetros com uma única carga

Fonte: Green Savers

A empresa norte-americana Proterra anunciou que o seu autocarro eléctrico Catalyst XR circulou 415 quilómetros com uma única carga, o melhor resultado de eficiência de sempre para um autocarro com 12 metros.

mobilidade_eletricbus

Segundo a empresa, o objectivo da inovação na autonomia dos autocarros eléctricos é levá-los a percorrer uma rota típica norte-americana sem recorrer ao carregamento das baterias. Os dados da General Transit Feed Specification mostram que uma rota típica de autocarro – urbana ou rural – cobre menos de 320 quilómetros. Isto quer dizer que o Catalyst XR pode, facilmente, fazer a maioria das rotas convencionais de autocarro nos Estados Unidos.

Segundo o Gizmag, o autocarro testado foi equipado com uma nova geração de tecnologia de armazenamento com oito baterias, capaz de gerir 257 KWh. A tecnologia foi desenhada de raiz a pensar na eficiência e autonomia do veículo. Continuar a ler

Veja como Lisboa vai mudar!

Fonte: Expresso

Praças novas e avenidas arranjadas para passear — avança a reconversão do eixo Marquês de Pombal/Entrecampos.

Mais verde, mais passeios, mais esplanadas; mais gente, menos carros — são os princípios por trás da revolução que a Câmara Municipal de Lisboa (CML) quer lançar no chamado “eixo central”, que vai do Marquês de Pombal até Entrecampos. Na reunião do executivo camarário da próxima quarta-feira deverá ser aprovada a empreitada, que inclui a transformação do Saldanha numa verdadeira praça, em vez da rotunda com estacionamento que é atualmente, e o novo desenho da zona de Picoas, entre o edifício da PT e o Centro Comercial Imaviz, bem como o rearranjo da Avenida Fontes Pereira de Melo e da Avenida da República até ao cruzamento com a Elias Garcia. A parte restante do projeto do “eixo central”, do Campo Pequeno até Entrecampos, não avança por enquanto, por ser tecnicamente mais complexa e cruzar-se com os projetos para os terrenos da Feira Popular (outro imbróglio que a autarquia conta desembrulhar ainda este ano).

“Sim”, responde, sem hesitar, o presidente da CML, Fernando Medina, quando questionado sobre se este é um dos grandes projetos do seu mandato. “Estamos a dar resposta à ambição das pessoas, que creio ser grande, de poderem usufruir mais e melhor do espaço comum na cidade. Aumentamos e valorizamos o espaço público, que reganha centralidade para utilização e fruição de todos, seja para estar numa esplanada, andar a pé ou de bicicleta, ou divertirmo-nos com os filhos num parque”, diz o autarca. Continuar a ler

Londres | uma forma de eliminar as beatas “quem é melhor… Ronaldo ou Messi?”

A agência de proteção ambiental Hubbub arranjou uma forma original de manter as ruas de Londres limpas de beatas. Em vez de as deitar para o chão, o transeunte é convidado a deitá-las num local específico, respondendo a uma das questões eternas do futebol…

Hubbub1

Sesimbra | Galardão ECO XXI 2015 – municípios sustentáveis

Mais informação aqui.

O ECOXXI é um Programa de educação para a sustentabilidade, implementado em Portugal pela ABAE desde 2005 (ver antecedentes).dirigido principalmente aos técnicos e decisores dos municípios considerados agentes privilegiados de promoção do desenvolvimento sustentável a nível local.

Galrd--o-ECOXXI-20151

Visa a identificação e o reconhecimento de boas práticas de sustentabilidade valorizando, entre outros aspetos :

– a educação no sentido da sustentabilidade;
– a qualidade ambiental.

Composto por 21 indicadores de sustentabilidade local, este Programa pretende avaliar a prestação dos municípios, reconhecendo como eco-municípios os que demonstram a implementação de boas práticas, politicas e ações em torno de alguns temas considerados chave: Continuar a ler

Luzes LED estão a alterar o aspeto das cidades vistas do espaço

Fonte: Visão

As luzes LED, populares pela poupança de energia que permitem, estão a alterar significativamente a paisagem terrestre vista do espaço. Veja a diferença através de duas fotos captadas com três anos de intervalo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Cidades por todo o mundo têm estado a substituir postes de luz que consomem grandes quantidades de energia por LEDs, com luzes mais brancas e brilhantes e que gastam menos. Mas enquanto tiravam fotografias à Terra para medir a poluição luminosa, os astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional (EII) constataram algo surpreendente: As luzes LED – em português, diodos emissores de luz – muito valorizadas pela sua capacidade de poupar energia – estão, na realidade, estão a agravar a poluição luminosa do planeta. E mudança é tão intensa que a equipa da EII consegue observá-la do espaço.

Numa das imagens da NASA, vê-se a cidade italiana de Milão, em 2012, quando a utilização de luzes LED era menor. É possível observar que a luminosidade nos subúrbios era semelhante à do centro da cidade. Em 2015, os níveis de iluminação no centro da cidade são muito mais fortes que nos subúrbios, com uma maior presença de luz azul. Continuar a ler

Papa reúne com autarcas – Cidades contra as alterações climáticas apostam nas energias renováveis

Fonte: DN

Papa reuniu 60 autarcas de todo o mundo para debaterem boas práticas ambientais nos ambientes urbanos e pressionarem os decisores políticos a levar a Paris, em dezembro, um compromisso para o planeta.

papaautarcas

Com 93% dos mais de um milhão de habitantes a deslocar-se de bicicleta, a pé ou de transportes públicos através da cidade e 75% da energia consumida proveniente de fontes renováveis, Estocolmo, capital da Suécia, é uma das cidades campeãs do (bom) ambiente – invariavelmente, é presença obrigatória nos rankings das cidades mais verdes da Europa e do mundo. Mas esta é só uma fase intermédia no caminho para um objetivo mais ambicioso.

Para a jovem presidente da câmara da capital sueca, Karin Wanngard, a meta é deixar completamente de usar combustíveis fósseis no prazo de 25 anos – até 2040. Foi isso que anunciou nesta semana em Roma, durante a sua intervenção num encontro entre o Papa e 60 autarcas de todo o mundo, que teve como objetivo alertar os políticos para a necessidade crítica de mudar práticas e comportamentos a fim de travar as alterações climáticas.

Na Holanda, o plástico reciclado pode vir a substituir o alcatrão nas estradas

Fonte: Público

Mais amigo do ambiente, mais rápido de colocar e mais leve e duradouro. Estas são as características que levaram a câmara de Roterdão, na Holanda, a estar disponível para testar a utilização de plástico reciclado para criar pavimentos de estradas, substituindo o alcatrão e, em alguns casos, incluindo tubagens e cabos no interior.

plasticroad

As imagens que a empresa de construção holandesa VolkerWessels revelou recentemente no seu site mostram estruturas feitas de plástico reciclado, que tanto servem para construir estradas como para criar ciclovias. Debaixo da primeira camada existe uma caixa que se liga à outra extremidade de plástico com o apoio de pequenos tubos. Dentro da caixa, a VolkerWessels colocou canos e cabos para mostrar que é possível dar outras funções ao pavimento alternativo ao asfalto, como incluir cabos de electricidade, por exemplo.

A ideia é criar estradas através de várias partes pré-fabricadas que depois de montadas se tornam numa única via, construindo-se uma PlasticRoad (estrada de plástico). “As estradas podem ser construídas em semanas em vez de meses. É também muito mais fácil controlar a qualidade da estrada”, escreve a empresa na apresentação do seu projecto, sublinhando que a facilidade de construção e transporte até ao local onde será construída uma estrada diminui a logística e espaço a que obrigam este tipo de trabalhos. Continuar a ler

7 dicas para apreciar a água da torneira

Fonte: Green Savers

O título deste artigo pode parecer estranho – afinal, beber água não tem nada de extraordinário. Pelo menos em Portugal, onde ela é de boa qualidade: basta pegar num copo, abrir a torneira e beber calmamente.

aguatorneira

No entanto, a água pode apresentar, ocasionalmente, sabor e cheiro, devido a diversos factores como a presença de cloro usado na desinfecção da água ou deficiente manutenção das redes prediais e canalizações domiciliárias, incluindo torneiras.

Segundo explica a Águas de Portugal, o sabor da água depende também da sua composição em sais – o cálcio e o magnésio, por exemplo. Para melhorar o sabor e o cheiro da água, fique com sete dicas simples e que contribuirão, certamente, para se sentir mais saciado ao bebê-la.

SETE DICAS PARA BEBER ÁGUA

1.No tempo quente, a água pode aumentar a sua temperatura, caso as redes de distribuição ou prediais estiverem expostas ao calor. Antes de beber, deixe correr um pouco para refrescar a água.

2.Quanto mais fresca a água estiver, melhor sabe. Manter a água no frigorífico, de preferência num recipiente tapado, ajuda a melhorar o sabor e a sensação de frescura. Continuar a ler

Lisboa a par da Europa na separação de resíduos

A maior adesão, a nível nacional, ao processo de separação de embalagens usadas, surge em Lisboa, com 79% das famílias a fazer “separação doméstica”. Os números, da Missão Reciclar, que agora termina, referem-se ao distrito, mas, garantiram os responsáveis da Sociedade Ponto Verde (SPV), “se isolarmos Lisboa os números só podem melhorar”. Os valores divulgados “colocam Lisboa a par dos países que vão mais à frente ”como é o caso da Bélgica, Alemanha”.

residuoslisboa

As conclusões, do maior estudo realizado até hoje pela SPV, foram apresentadas dia 9 de julho, nos Paços do Concelho de Lisboa, com a presença de Duarte Cordeiro, vice-presidente da Câmara Municipal, Luis Veiga Martins, da SPV, representantes da Agência Portuguesa do Ambiente, Quercus, Empresa Geral do Fomento e técnicos da autarquia.

Os resultados agora conhecidos “devem-se em muito à Sociedade Ponto Verde”, começou por dizer Duarte Cordeiro. Sem o seu contributo “este trabalho de sensibilização não tinha sido possível e hoje não teríamos com certeza os resultados que temos”.

Também no município “todos estamos de parabéns”, sublinhou, numa referência aos serviços da Higiene Urbana, e a “um trabalho que já vem de há muito tempo”. A Câmara de Lisboa, recordou Duarte Cordeiro, “começou há cerca de trinta anos, a colocação de vidrões na via pública e, ainda nos anos 90, começou a fazer a recolha porta-a-porta, de papel e cartão nos grandes produtores”. Uma recolha que, a partir de 2003, se veio a estender aos lares de Olivais e Alto do Lumiar, com o inicio “da recolha seletiva porta-a-porta, de papel e embalagens”. Continuar a ler

Boston lança APP que indica recolha do lixo

Fonte: Smart Cities

Saber quando iria ser feita a recolha do lixo numa semana com um feriado pelo meio ou numa época em que ocorrem tempestades de neve era uma preocupação constante para os habitantes de Boston, nos Estados Unidos, o que fazia com que chovessem telefonemas para a câmara. Esta dor de cabeça pode ter chegado ao fim com o lançamento, na última quarta-feira, da aplicação móvel “Trash Day”, que dá acesso aos cidadãos à agenda de recolha de lixo e com dados sobre a reciclagem.

shutterstock-78378802-1

A nova ferramenta, disponível também no website da cidade, permite aos residentes receber lembretes, via e-mail ou telefone, que incluem detalhes específicos sobre os resíduos que vão ser recolhidos em determinada semana ou informação sobre recolhas especiais, tais como de resíduos de jardins, a título de exemplo. Adicionalmente, a app “Trash Day” oferece algumas orientações sobre onde devem ser depositados diferentes materiais para reciclagem ou considerados perigosos. Isto porque “quanto mais fácil for saber o que pode ou não ser reciclado, mais tendência se tem para colocar os itens no contentor correcto e evitar que o lixo acabe em aterros”, sustenta o comissário interino de Obras Públicas da cidade, Michael Dennehy.

“Estamos sempre à procura de formas novas e inovadoras de responder às necessidades dos residentes”, admitiu o mayor de Boston Martin J. Walsh, em comunicado. “Esta ferramenta é uma forma simples de partilharmos a informação que afecta praticamente todos os habitantes de Boston diariamente”, acrescentou. Continuar a ler

Resíduos | três inovações que vão revolucionar as cidades

Fonte: Green Savers

Cerca de 70% da população mundial viverá nas cidades em 2050, de acordo com as Nações Unidas. Os números são bem conhecidos e vão alterar profundamente as cidades em que vivemos – sobretudo as grandes metrópoles –, elevando a necessidade de criarmos cidades mais sustentáveis que, se possível, não diferenciem resíduos e recursos.

9

Por outras palavras: as cidades devem entender os resíduos como ponto de partida de algo novo. Estas são três ideias que podem em breve ser aplicadas nas megacidades e que nos podem ajudar a construer um ambiente urbano mais sustentável para o futuro.

1.Minas urbanas

À medida que as minas naturais se esgotam, as cidades serão as minas do futuro, uma vez que é por lá que estão os recursos naturais já transformados em materiais. Há décadas que existe tecnologia para reciclar cobre e empresas especialistas já recuperam o resíduo metálico dos velhos cabos eléctricos.

Segundo explicou ao Guardian o professor Thomas Graedel, da Yale School of Forestry and Environmental Science, os edifícios armazenam os materiais que serão reciclados mas também nos ajudarão a poupar uma grande quantidade de energia necessária para os alcançar. Continuar a ler

Lisboa | maior espaço verde do centro histórico inaugurado

O Jardim da Cerca da Graça, o maior espaço verde de acesso pública da zona histórica de Lisboa, foi inaugurado no passado dia 17 de junho, pelas 18h30. O jardim tem 1,7 hectares e vai assegurar a ligação entre os bairros da Graça e da Mouraria.

Des. N4 - Plano Geral-esc.500

O projecto levou à plantação de cerca de 180 árvores e arbustos, à criação de um relvado central, três miradouros, um parque de merendas e um pomar. Terá ainda um quiosque com esplanada e um parque infantil.

Há muito, porém, que o jardim está para ser inaugurado. “Os problemas e os atrasos deles resultantes foram mais que muitos, mas tudo leva a crer que, desta vez, será mesmo a sério”, escrevia, em Março, O Corvo.

Segundo o site, especializado em temas da cidade, a inauguração chegou a estar prevista para 2009, mas os trabalhos apenas começaram há dois anos. Ainda assim, as obras estiveram paradas quase um ano, tendo sido retomadas apenas em Setembro. Entretanto, vários argumentos foram dados para o adiamento, desde a descoberta de mas de ossadas de mais de cinquenta cadáveres, provavelmente do terramoto de 1755 ou qualquer surto de peste, ou as más condições meteorológicas, que teriam levado ao empapamento dos terrenos. Continuar a ler

Calgary | esta é a cidade mais limpa do mundo‏

Fonte: Sol

De acordo com um estudo do Mercer Global Financial, Calgary, no Canadá, surge no topo da lista das cidades mais limpas do mundo, escreve o The Guardian.

Calgary (2)

Para os europeus, parece estranho que nenhuma cidade suíça apareça nos primeiros 10 lugares. A verdade é que, apesar da limpeza das ruas, Calgary ocupa o 33.º lugar num outro ranking de qualidade de vida dos habitantes, enquanto Zurique mantém-se ao longo de vários anos em 2.º.

O ranking das cidades mais limpas tem em conta critérios como a disponibilidade e potabilidade da água, a recolha de lixo, a qualidade dos sistemas de esgotos, a poluição na atmosfera e o tráfego automóvel. Curiosamente, o lixo nas ruas, o indicador mais visível de limpeza, não é avaliado neste ranking.

Ainda assim, é certo que Calgary é livre de detritos na rua. Isto porque quem atirar cigarros ou lixo da janela do carro, por exemplo, incorre numa multa que pode chegar aos mil dólares.

Além disso, a associação Green Calgary promove junto da população acções de formação com dicas sobre como fazer compostagem ou a preparação de um almoço com o mínimo de embalagens possível.

Esta é a lista completa do top 10: Continuar a ler

Como se plantam mil milhões de árvores num ano?

Uma startup britânica quer utilizar drones para plantar mil milhões de árvores por ano e, assim, ajudar a reflorestar o planeta gradualmente. Este é o objectivo da BioCarbon Engineering, com sede em Oxford, Inglaterra, que quer combater a desflorestação à escala industrial com uma reflorestação nas mesmas proporções.

dronearvores

Estima-se que, actualmente, cerca de 26 mil milhões de árvores sejam queimadas ou cortadas todos os anos. Destas, apenas 15 mil milhões voltam a ser plantadas. O primeiro passo para reduzir esta diferença passa, de acordo com a BioCarbon Engineering, por um mapeamento, feito com os drones, dos territórios florestais espalhados pelo mundo, para que se possa perceber “onde a reflorestação é mais necessária”, escreve oTreeHugger. Posteriormente, proceder-se-á para a plantação.

Assim que a área a reflorestar seja identificada, é enviado um drone para o local, que emite um sinal para a estação de controlo a indicar que chegou. Então, a cerca de dois ou três metros de distância do solo, o aparelho “dispara” uma semente germinada biodegradável, que é posteriormente coberta com uma camada de hidrogel. Continuar a ler

Gestão de resíduos | prémios de qualidade dos serviços de águas e resíduos 2014

A entrega dos Prémios decorrerá durante o 9.º Fórum Nacional de Resíduos, que se realiza nos próximos dias 22 e 23 de abril.

A entrega dos Prémios de Qualidade dos Serviços de Águas e Resíduos, uma iniciativa conjunta da ERSAR e do jornal Água&Ambiente, com a colaboração de reconhecidas associações técnico-científicas (APDA, APESB, APRH) e de um centro de investigação de referência (LNEC), decorrerá, pela primeira vez na vertente de gestão de resíduos, durante o 9.º Fórum Nacional de Resíduos, que se realiza nos próximos dias 22 e 23 de abril.

Ecopontos

Para o ano de 2014 foram consideradas automaticamente elegíveis todas as entidades prestadoras de serviços de gestão de resíduos urbanos que tenham sido objeto de avaliação da qualidade do serviço em 2012.

Foi selecionado como tema livre a “Minimização da deposição de resíduos em aterro”, que visa premiar a capacidade das entidades gestoras de promover o desvio de resíduos de aterro em benefício de soluções ambientalmente mais adequadas, pelo que haverá, no presente ano, a entrega de dois prémios relativos ao serviço de gestão de resíduos.

O júri decidiu no corrente ano nomear as entidades gestoras a seguir indicadas, por ordem alfabética.

Para o prémio no tema “Qualidade do serviço de gestão de resíduos urbanos”: Continuar a ler