Opinião | As contas de 2015 da Câmara Municipal de Montijo por José Bastos

josebastosAs novas tecnologias, permitem hoje ,que a Câmara de Montijo, tenha disponíveis, já no princípio de Janeiro de 2016, números provisórios das contas de 2015.

As contas apresentam uma execução orçamental de 100% nas receitas e 92% nas despesas, um saldo positivo a transitar para 2016, sem dívidas aos fornecedores e empreiteiros e com um prazo médio de pagamento de 10 dias.

Os números agora apresentados são melhores que os de 2014 que já foram muito bons.

A Câmara de Montijo, presidida pelo engº Nuno Canta, nos dois primeiros anos de mandato e num período de crise, conseguiu um equilíbrio das contas dos melhores da região e do país.

Um dos objectivos do PS de Montijo, foi sempre de que a Câmara da nossa Terra tivesse as contas equilibradas e que o dinheiro dos nossos impostos fosse bem aplicado. É um grande orgulho para todos os socialistas de Montijo que o dinheiro dos Montijenses esteja em “boas mãos”.

Numa altura em que tanto se fala em corrupção na política é bom que o país saiba que o Montijo está a ser dirigido por homens e mulheres acima de toda a suspeita.

Pela primeira vez, na história centenária do concelho de Montijo, um orçamento da Câmara de Montijo, o de 2015, foi por duas vezes reprovado pelos votos da CDU e do PSD e a Câmara teve que governar com o orçamento do ano anterior. Felizmente que a lei permite uma situação destas, pois se não fosse assim a Câmara ficava paralisada.

As contas de 2014 e 2015 da Câmara de Montijo, mostram bem quanto injusta e perigosa foi a estratégia do PSD de Montijo nas eleições autárquicas de 2013, quando apresentou como uma grande ideia força da sua campanha eleitoral a falência da Câmara de Montijo. Em política não vale tudo, ainda por cima quando se trata do património da comunidade. Continuar a ler

Anúncios

Opinião | A CDU e o aeroporto dos aviões low cost para a base aérea de Montijo por José Bastos

josebastosDesde o princípio dos anos sessenta do século passado que se fala na construção de um novo aeroporto de Lisboa, na margem Sul do Tejo, para substituir o aeroporto da Portela. Saiu até uma lei para reservar os terrenos da herdade de Rio Frio para esse efeito.

No fim do século XX foi escolhida a Base da Ota para se construir o novo aeroporto e já no princípio do milénio o Governo desistiu da Ota e optou pelo Campo de Tiro de Alcohete em terrenos dos concelhos de Benavente e Montijo (freguesia de Canha).

Em 2011, o Governo suspendeu a construção do novo aeroporto e não se sabe se alguma vez vai ser construido. Já passaram mais de cinquenta anos sobre a primeira tentativa.

Já no fim de 2011 a comunicação social anunciou a possibilidade de um aeroporto para os aviões low cost ser construido numa base aérea militar da Área Metropolitana de Lisboa: Alverca, Sintra ou Montijo.

O assunto foi estudado por uma comissão nomeada para o efeito e a escolha em princípio recaiu sobre o Montijo.

O actual Presidente da Câmara de Montijo, tem mostrado um grande interesse e entusiasmo na vinda do aeroporto e já apresentou ao CEO da ANA, as infra-estruturas exteriores que são necessárias.

Quem sente o “pulsar” dos Montijenses sabe que na sua quase totalidade desejam que o aeroporto venha para cá. Até porque se propõem utilizar a via fluvial de Montijo para Lisboa que vai ao encontro da história da nossa comunidade.

Quando se pensava que neste ponto todas as forças políticas estavam de acordo a CDU apresentou na Assembleia Municipal de Montijo uma moção contra a vinda do aeroporto para nossa Base Aérea. A moção foi rejeitada pelos votos do PS e do PSD, com a abstenção do BE e da presidente da Assembleia Municipal. Continuar a ler

Os carros em cima dos passeios e a mobilidade dos idosos e dos deficientes por José Bastos

josebastosOs automobilistas que fazem a sua vida na cidade de Montijo, têm que ser cuidadosos e não estacionarem em cima dos passeios. Os passeios estão destinados aos peões e não foram construídos para suportarem o peso dos carros especialmente os veículos de transporte de mercadorias e os jeeps.

 Ao ocuparem o espaço dos peões, os automobilistas estão a degradar os passeios e a obrigarem os peões a irem a ocupar o lugar destinados aos veículos.

Estacionar em cima dos passeios é ilegal e não deve ser feito em caso algum, mas a situação ainda é mais grave quando esta atitude dificulta a mobilidade e pode provocar quedas dos idosos e dos deficientes.

Aqui bem perto da minha casa, na rua Comandante Francisco da Silva Júnior a seguir ao cruzamento da avenida D. João IV e na travessa José Augusto Saloio, os passeios têm sempre carros estacionados e só não têm quando lá passa a polícia, mas “ é sol de pouca dura”. Pouco tempo depois já estão estacionados outros carros. Continuar a ler

A CDU e o PSD coligaram-se no Montijo para desestabilizar a boa situação financeira do Município por José Bastos

josebastosÉ do conhecimento dos Montijenses e da região que a Câmara de Montijo, tem feito uma boa gestão dos recursos financeiros, apesar destes, com a crise económica do país e do concelho, terem vindo a reduzir de ano para ano.

As contas estão controladas, todos os compromissos da Câmara são pagos a tempo e horas e os fornecedores e empreiteiros recebem a uma média de 30/40 dias.

Foi com esta situação financeira que considero excelente, comparando com muitas outras Câmaras por esse país fora que considero inacreditável a CDU e o PSD tivessem já por duas vezes votado contra o orçamento para 2015, numa tentativa desesperada de bloquear esta boa gestão financeira.

A situação financeira do Município de Montijo, foi debatida até à exaustão nas eleições autárquicas de 2013, pois era um dos pontos fortes da campanha eleitoral do PSD, que considerou sempre nessa altura que a nossa Câmara estava falida o que considerei sempre uma indignidade porque estavam a denegrir a imagem da nossa Terra no exterior. Continuar a ler

José Bastos | Comunicado do PSD sobre a declaração de voto dos seus vereadores na CMM

Comunicado do PSD sobre a declaração de voto dos seus vereadores na CMM por José Bastos

josebastosEstive a ler no Jornal Rostos online, o comunicado do PSD sobre a declaração de voto dos seus vereadores Pedro Vieira e João Paulo Dinis na CMM, justificando as razões porque votaram contra o orçamento para 2015. No penúltimo parágrafo dizem o seguinte: ” A Câmara Municipal de Montijo é governada não pelos autarcas que foram eleitos pelo povo, mas por uma família cujo protagonista é o Presidente Nuno Canta, criticando ainda o edil de estar “em guerra aberta com os autarcas do PS ignorando os Vereadores do seu Partido que na maioria dos casos só têm conhecimento das propostas camarárias no dia da sessão estando em causa o regular funcionamento do órgão”.

nota de imprensa vereadores psd

logo_PSD

click na imagem

Oh, Senhores vereadores Pedro Vieira e João Paulo Dinis se a Câmara é governada por uma família, é caso para perguntar, o que estão os Senhores a fazer? Se não pertencem à família. Continuar a ler