Juventude Socialista Montijo | Conferência Educação – que perspetivas de futuro?

A Juventude Socialista do Montijo promove uma conferência intitulada – Educação – que perspetivas de Futuro? – que terá lugar próximo dia 14 de maio (sábado), pelas 14H00, na Galeria Municipal do Montijo, no âmbito da Semana da Juventude do Montijo.

jsmontijo

Além de várias personalidades ligadas à Educação, estará presente como conferencista a Secretária de Estado Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão.

Programa

Sessão de Abertura

Ricardo Bernardes

(Presidente da Concelhia do Montijo da JS; Membro do CMEM)

Nuno Canta

(Presidente da Câmara Municipal do Montijo)

 

Painel I |Das 14.30h – 16h00

Alexandra Leitão

(Secretária de Estado Ajunta e da Educação)

Moderação – Ricardo Bernardes

Painel II|Das 16h10 às 17h20

Helena Lourenço

(Diretora do Agrup. de Escolas Poeta Joaquim Serra)

José Romão

(Diretor do Agrup. Escolas de Pegões, Canha e Santo Isidro)

Maria João Serra

(Diretora da Escola Secundária Jorge Peixinho)

Maria do Céu Simões / José Filipe Almeida

(Representantes das Assoc. de Pais e Enc. Educ. no CMEM)

João Martins

(Pres. Cons. de Administração da Escola Profissional do Montijo)

Moderação – Maria Fernanda Fernandes

Sessão de Encerramento Continuar a ler

Anúncios

JS Federação de Setúbal | presença de amianto nos edifícios públicos do distrito de Setúbal

O Amianto é uma substância nociva e cancerígena, presente em diversos materiais nomeadamente na indústria da construção, cuja utilização se encontra proibida em toda a União Europeia desde 2005 pela Diretiva 2003/18/CE transposta para o direito interno português através do Decreto-Lei nº 101/2005, de 23 de junho. Está cientificamente testado e comprovado que a inalação das fibras respiráveis de amianto, resultante da exposição prolongada, constituiu um grave e sério risco para a saúde pública, tendo em conta que está directamente associada ao surgimento de diversas doenças cancerígenas.

jssetubal

Em Portugal, de acordo com o relatório elaborado e divulgado publicamente no ano de 2014 pelo actual Governo, estima-se que existam mais de 2000 edifícios públicos onde o amianto esteja presente nas suas construções. Destes, mais de um terço são estabelecimentos de ensino, entre escolas de ensino básico e secundário e instituições de ensino superior. Particularmente, no distrito de Setúbal, são cerca de 70 os estabelecimentos de ensino que registam a presença desta substancia nociva para a saúde pública na sua construção. Continuar a ler