S.energia promove 2.º Edição da Distinção “Edifício + Sustentável”

No próximo dia 30 de Novembro, realizar-se-á o “Encontro com Energia” subordinado à “Promoção de uma Arquitetura mais Sustentável”, no qual será entregue a da Distinção “Edifício + Sustentável” no âmbito da sua segunda edição.

senergia123-1728x800_c

A Distinção “Edifício + Sustentável foi implementada pela S.energia em 2014, e pretende reconhecer as operações urbanísticas concluídas e energeticamente certificadas no ano civil que antecede a edição da iniciativa, que adotem as melhores práticas nos domínios energético ambiental na conceção ou na reabilitação edifícios da área de intervenção da agência de energia, obtendo classes energéticas A+ e B. Serão premiados os edifícios que se socorreram de estratégias bioclimáticas, de tecnologias, soluções e materiais de construção com menor impacto ambiental e menor energia incorporada, proporcionando um maior conforto higrotérmico dos utilizadores, e o incremento da eficiência energética, valorizando indubitavelmente o contexto urbano onde se inserem.

No âmbito do evento, será realizada a assinatura de um protocolo celebrado entre a Baía do Tejo S.A. e a S.energia no âmbito da Gestão Local de Energia, haverá lugar à apresentação uma intervenção de reabilitação arquitetónica promovida pela Baía do Tejo, e será feito um enquadramento pela ADENE – Agência para a Energia sobre a importância do Sistema de Certificação Energética na promoção da maior sustentabilidade arquitetónica. Continuar a ler

Anúncios

Compras verdes para cidades sustentáveis

Fonte: Smart Cities

As compras públicas são uma vertente importante da acção de uma autarquia, um pouco por todo o mundo, avaliando que bens e serviços devem ser postos ao serviço da cidade. Contudo, são também importantes para tornar o desempenho da administração local mais sustentável e com uma menor pegada carbónica. Como? Um novo guia, gratuito, destinado às cidades europeias, dá algumas respostas.

comprasverdes

Trata-se da publicação “Compras Públicas ‘verdes’ nos Planos de Acção para a Energia Sustentável”, que apoia as cidades subscritoras no Pacto de Autarcas a integrar as compras públicas ecológicas no seu planeamento municipal. O guia está sobretudo vocacionado para os municípios que se encontrem a definir o seu Plano de Acção para a Energia Sustentável, peça obrigatória no âmbito do Pacto de Autarcas.

Entre informação sobre as várias fases de compras públicas e o enquadramento teórico sobre o tema, é possível consultar também dicas e exemplos de boas-práticas. O guia está disponível em inglês, italiano, polaco, romeno, eslovaco e alemão. Continuar a ler

Pacto de Autarcas: o início de uma nova era

Fonte: Smart Cities

Com mais de 6000 cidades já subscritoras do Pacto de Autarcas, chegou a altura da iniciativa europeia de acção local sustentável ganhar uma nova dimensão e ‘cara’ renovada. Bruxelas prepara-se para, no dia 15 de Outubro, apresentar um “Novo Pacto de Autarcas”. Entre as novidades, destaque para a inclusão da componente de adaptação climática e para o princípio da “energia para todos”, que as cidades assinantes do novo Pacto terão que garantir.

pactoautarcas

O Novo Pacto de Autarcas surge agora alinhado com os horizontes de política comunitária para 2030. A evolução é natural, acompanhando as metas estabelecidas pela União Europeia (UE) no que concerne à redução de emissões de CO2, incorporação de energias renováveis e aumento da eficiência energética. Já em 2008, por altura do lançamento do actual Pacto de Autarcas, os objectivos traçados para os municípios europeus estavam em linha com as metas da UE para 2020. E as intenções do Pacto eram claras: associar directamente as cidades na implementação da política comunitária para a energia e clima, através da implementação de planos de acção para a energia sustentável.

Hoje, acompanhando o que foi decidido pelas instituições europeias, o Pacto de Autarcas quer afirmar-se com maior ambição. O objectivo das cidades signatárias no Novo Pacto passa a ser o de uma redução de emissões de CO2 em, pelo menos, 40%, no seguimento de um processo de consulta alargado aos váriosstakeholders. No actual modelo, a meta consistia em ultrapassar a fasquia definida a nível comunitário para 2020: 20%.

Outra das novidades passa pela integração do Mayors Adapt no Novo Pacto de Autarcas. Recorde-se que o Mayors Adapt foi lançado em 2014, com atenções centradas na adaptação climática das cidades. A preocupação com a vulnerabilidade das cidades não foi esquecida, mas, agora, os esforços climáticos de adaptação e mitigação vão ser integrados sob uma mesma iniciativa. Continuar a ler

Green Project Awards 8ª edição | candidaturas encerram a 29 de maio

Decorrem até ao dia 29 de Maio, sexta-feira da próxima semana, as candidaturas à 8ª edição do Green Project Awards (GPA), projecto português que premia empresas, ONG, entidades públicas, associações, fundações, organizações da sociedade civil ou cidadãos em nome individual que se tenham distinguido pelas boas ideias em prol da sustentabilidade.

GPA_SAPO11

As candidaturas terão de cumprir duas grandes condições de elegibilidade: projectos, produtos ou serviços, campanhas ou acções que visem o desenvolvimento sustentável e que tenham sido implementados ou disponibilizados, em Portugal, nos últimos três anos; e que reúnam evidências da sua implementação e respectivos resultados qualitativos e quantitativos.

As candidaturas serão avaliadas pelo impacto dos três pilares da sustentabilidade (ambiental, económico e social), pela repercussão no comportamento e atitude dos cidadãos, aplicação de práticas inovadoras e ecoeficientes, a relação entre os benefícios gerados e os custos associados e a reprodutibilidade. Por outro lado, serão valorizados projectos de entidades cuja missão principal não seja de natureza ambiental e social.

Veja o regulamento completo e saiba como se inscrever – as candidaturas são exclusivamente online. Continuar a ler

Fonte: Smart Cities

Boa notícia!

Bruxelas prepara as prioridades de investimento em cidades inteligentes para o período 2015-2016 e, para já, as infra-estruturas ambientais ganham protagonismo. Esta foi a indicação deixada ontem pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), na Green Business Week, que decorre esta semana em Lisboa.

financiamento_sc

Nas orientações dadas pela Comissão Europeia para as próximas calls do Horizonte 2020, programa de apoio à investigação e desenvolvimento tecnológico da União Europeia (I&DT), as cidades inteligentes são vistas, cada vez mais, como um conceito urbano transversal. De tal forma que, para os financiamentos 2015-2016, tanto as áreas de ambiente como de energia do programa-quadro contemplam assmart cities. O objectivo, explicaram os pontos de contacto nacionais para o Horizonte 2020 em Portugal, é que as próximas candidaturas a financiamento possam incluir “soluções baseadas na natureza” e “sistemas de gestão de águas e resíduos, em demonstrações de grande escala”.

Ainda no âmbito do Horizonte 2020, outras oportunidades para desenvolver projectos smart cities estão a ser desenvolvidas em Bruxelas. Exemplo disso é a Iniciativa Tecnológica Conjunta em sistemas e componentes electrónicos (ECSEL JU), no eixo das tecnologias de informação e comunicação. Numa lógica de parceria entre entidades públicas e privadas, a iniciativa tem comprometido um financiamento comunitário de 1,17 mil milhões de euros até 2020, para aplicações nas áreas de mobilidade, sociedade, energia, saúde e produção inteligentes. Continuar a ler

Oeiras| município reduz despesa no consumo energético

Em 2014, Oeiras conseguiu poupar 113.579,22€.

edificiocmogrande

Reduzir a despesa é palavra de ordem no Município de Oeiras, e só através da diminuição de consumos e da remoção de equipamentos dispensáveis, conseguiu poupar, em 2014, 113.579,22€. Esta poupança resulta diretamente da redução de despesas com energia, o que também implica a consequente redução de GEE (Gases com Efeito de Estufa). Continuar a ler

Ranking cidades mais sustentáveis | cidades esquecem componente humana

Fonte: Smart Cities

No ranking das dez cidades mais sustentáveis, sete são europeias. Frankfurt lidera a lista Sustainable Cities Index (50 Cidades) mas a conclusão geral da análise lembra que, por todo o mundo, as cidades têm esquecido a componente humana. “As cidades estão a ter melhores desempenhos para a sustentabilidade dos seus objectivos de Lucro e Planeta, mas estão a falhar na resposta adequada às necessidades das Pessoas”, pode ler-se na avaliação, divulgada a 8 de Fevereiro pela consultora económica Arcadis.

frankfurt-sc

 Na análise, as cidades são avaliadas de forma geral, mas também em sub-rankings dedicados, separadamente, às componentes Lucro, Pessoas e Planeta (que correspondem aos pilares económico, social e ambiental). E é exactamente neste equilíbrio entre as várias vertentes que os líderes autárquicos enfrentam dificuldades.

 Frankfurt, por exemplo, obteve o primeiro lugar no ranking geral, graças sobretudo à sua prestação económica e ambiental. Considerada a “Cidade Europeia das Árvores 2014”, pelo seu esforço em registar e monitorizar cada árvore da cidade, Frankfurt tem em marcha o plano “100% Protecção Climática” – que prevê, entre outras medidas, uma produção energética baseada a 100% em renováveis. Por outro lado, o facto de a cidade ser um centro financeiro global contribuiu também para o desempenho de excelência a nível económico. Continuar a ler

Consórcio português faz comboio do futuro

Fonte: Revista Invest

Uma solução inovadora do interior de um comboio foi desenvolvido por um consórcio de empresas e institutos portugueses, no âmbito do projeto inTRAIM, no qual resultou um protótipo à escala real, concebido unicamente com materiais ecológicos e recicláveis.

Interior da Carruagem

Esta “mock up”, que será apresentada na próxima sexta-feira, nas instalações da EMEF – Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário, visa “demonstrar que as empresas e parceiros portugueses têm competências e capacidade de fornecerem soluções e componentes ferroviários, nomeadamente para os chamados comboios de alta velocidade”, disse à INVEST Joaquim Menezes, presidente da SETsa, uma das empresas do consórcio.

“Foram desenvolvidos e produzidos protótipos de todos os componentes do interior de uma carruagem, como painéis laterais, bancos, pilares de entrada, sistema de informação ao passageiro, chão e sistema de iluminação”, explicou o mesmo responsável, adiantando que, “em relação aos materiais foram utilizados materiais ecológicos e recicláveis, que cumprem as normas do setor”. Continuar a ler

Águeda vence prémio “Cidades Sustentáveis”

Fonte: Smart Cities

A câmara municipal de Águeda foi a grande vencedora da edição deste ano dos Green Project Awards (GPA) na categoria “Cidades Sustentáveis”, que esteve, pela primeira vez, a concurso.

2601agueda

A autarquia foi distinguida pelo seu empenho em ser uma cidade “à procura da excelência”, onde “todos gostam de viver, trabalhar, estudar e visitar”. Para isso, nos últimos anos, Águeda tem apostado na inovação, boas práticas, desenvolvimento tecnológico e no estabelecimento de parcerias. Paralelamente tem também feito um investimento humano e financeiro nesta transformação para uma smart city. Qualificação de espaços verdes, devolução do espaço público ao cidadão, através da diminuição do tráfego e da criação de pistas cicláveis, promoção da economia local e do empreendedorismo, melhoria da eficiência energética na iluminação pública são algumas das iniciativas, entre outras, que podem ser vistas hoje na cidade. Continuar a ler

Energia sustentável das cidades a concurso

Fonte: Smart Cities

Até 28 de Fevereiro, todos os projectos de energia sustentável em ambiente urbano, incluindo na área dos transportes, estão convidados pela Comissão Europeia a candidatarem-se aos prémios da Semana Europeia da Energia Sustentável 2015 (EUSEW, na sigla em inglês), que acontece entre 15 e 19 de Junho. “Cidades, Comunidades e Regiões”, “Energias Renováveis” e “Eficiência Energética” são as três categorias a concurso nesta nona edição.

2101eusew

Na categoria “Cidades, Comunidades e Regiões”, serão aceites projectos levados a cabo por municípios, autoridades públicas locais ou regionais e agências de energia, que se proponham a alcançar — ou mesmo ultrapassar — as metas europeias para a energia e clima para 2020. As iniciativas podem envolver cidadãos, pequenas e médias empresas, tecnologias de informação e comunicação (TIC), redes, cidades inteligentes, formas de mobilidade suave e acções de planeamento para a mobilidade urbana sustentável. Continuar a ler

ENA | energia para a sustentabilidade local

A ENA – Agência de Energia e Ambiente da Arrábida – promoveu no final do ano de 2013 um seminário com o tema “energia para a sustentabilidade local”, onde foram debatidos os apoios e os desafios para o período 2014-2020, bem como, as estratégias para a sustentabilidade energética e ambiental dos territórios.

Conheça o resumo das comunicações.

click na imagem

enaenergiaparaasustentabilidade

 

«Encontro com Energia» na Galeria Municipal do Montijo | apresentação da primeira edição da Distinção «Edifício + Sustentável»

O próximo Encontro com Energia, sob o tema “Promoção de uma Arquitetura Mais Sustentável”, onde será apresentada a primeira edição da Distinção “Edifício + Sustentável”, realiza-se no dia 18 de Dezembro, pelas 16h30, na Galeria Municipal do Montijo.

senergia

Esta é uma iniciativa promovida pela S.energia – Agência Regional de Energia para os Concelhos do Barreiro, Moita, Montijo e Alcochete, que pretende promover as melhores práticas de Arquitetura, distinguindo os edifícios que se socorram das estratégias bioclimáticas, de tecnologias, soluções e materiais de construção com menor impacto ambiental e menor energia incorporada, que proporcionem o conforto higrotérmico dos utilizadores dos edifícios, contribuindo também para o incremento da eficiência energética e integração de sistemas de produção descentralizada de energia por fontes renováveis. No fundo, queremos distinguir edifícios que valorizem o contexto urbano onde se inserem, incrementando a qualidade de vida população. Continuar a ler

Sustentabilidade | 25 dicas para uma casa mais sustentável

Por Aline Delgado – QUERCUS A.N.C.N

Comprar, construir ou arrendar uma casa é uma decisão que envolve muitas e importantes questões. Se pretende mudar de casa, eis a altura certa para olhar para o futuro espaço de forma mais sustentável. A Quercus vai tentar ajuda-lo nesta decisão, de forma a torná-la social, económica e ambientalmente equilibrada. Apresentando 25 sugestões, vamos tentar contribuir para que a sua decisão seja o mais próxima dos seus padrões de conforto, “poupando na sua carteira” ao mesmo tempo que “poupa no ambiente”!

25 Dicas para uma casa mais sustentável10

1. A localização de um edifício é muito importante no que respeita às necessidades térmicas do espaço interior. Estas necessidades estão contempladas no Regulamento de Características de Comportamento Térmico dos Edifícios (RCCTE), onde se apresentam estratégias que contribuem significativamente para a melhoria do desempenho térmico dos edifícios. Procure aconselhamento especializado para verificar se a casa que vai habitar cumpre este Regulamento tanto para a situação de Verão como para a situação de Inverno. Continuar a ler